Removedor de Lodo e Bomba Parafuso para a ETE de São José do Rio Preto – SP 2018

Publicado em 1 de julho de 2021

CLIENTE

O SeMAE, Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto de São José do Rio Preto, no Estado de São Paulo, é uma autarquia municipal. O órgão é responsável pelo serviço de abastecimento de água, captação, adução, tratamento, reserva e distribuição de água potável e coleta, afastamento e tratamento dos esgotos domésticos do município de São José do Rio Preto e distritos de Talhado e Engenheiro Schmitt. Com 86% das águas de suas bacias hidrográficas drenando para o interior, no rio Paraná, e 14% para o litoral, o Estado de São Paulo possui densa rede de rios, que se espalha por todo o seu território, e uma excelente reserva de água subterrânea, principalmente na região oeste. O estado está subdividido em 22 Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos denominadas UGRHIs. O município de São José do Rio Preto encontra-se inserido na UGRHI-15, denominada Turvo/Grande, encontrando-se na Região Hidrográfica da Vertente Paulista do Rio Grande, com uma área de 56.961 km². É formada pelas bacias dos cursos d’água da vertente paulista do Rio Grande, onde se destacam as bacias do rio Pardo e de seu principal afluente, o rio Mogi, além do rio Turvo e do rio Sapucaí. Há a necessidade de otimizar a rede de monitoramento hidrometeorológico para se obter maior confiabilidade nos dados de disponibilidade hídrica, pois as demandas acabam mascaradas pela falta de cadastros adequados e confiáveis, tanto sobre os mananciais superficiais, quanto os subterrâneos. Com a implantação da terceira e importante estação de tratamento, a ETE Rio Preto, e a complementação do sistema de interceptação de forma a conduzir os esgotos da cidade até ela, eliminaram-se os principais lançamentos in natura nos cursos d’água que atravessam a área do município. São José do Rio Preto situa-se na região noroeste do Estado de São Paulo, estando a aproximadamente 452 km da cidade de São Paulo e 600 km de Brasília. Rio Preto, como a cidade é comumente chamada, encontra-se entre as cidades brasileiras com melhor qualidade de vida.

PROJETO

Duas das estações de tratamento de esgotos são setoriais e inexpressivas no contexto do tratamento da cidade. Com a implantação da terceira e importante estação de tratamento, a ETE Rio Preto, e a complementação do sistema de interceptação de forma a conduzir os esgotos da cidade até ela, eliminaram-se os principais lançamentos in natura nos cursos d’água que atravessam a área do município. Os esgotos afastados pelo conjunto de interceptores existentes correspondem à quase totalidade dos despejos urbanos. A cidade de São José do Rio Preto tem procurado atender, com grande intensidade, à Legislação Ambiental Vigente, tanto federal, quanto estadual e municipal. Em demonstração a isso, encontra-se em fase final de execução, a Estação de Tratamento de Esgotos que colocará o município de acordo com as exigências ambientais vigentes, quanto ao lançamento de efluentes in natura nos corpos d’água da região, além de promover a melhoria na qualidade de vida da população e do meio ambiente. Por possuir uma rede hidrológica extensa, as áreas de preservação ambiental são diretamente proporcionais à mesma, e para garantir a sobrevivência desses corpos d’água, torna-se necessário manter suas margens cada vez mais protegidas, com áreas de preservação permanente, evitando processos de erosão e consequente assoreamento, assim como pela erradicação do lançamento de efluentes in natura que contribuem com a poluição das águas. Com a implantação da Estação de Tratamento de Esgotos, próximo à confluência do Rio Preto e o córrego São Pedro, a cerca de 15,8 km dos interceptores, o SeMAE se prontificou, com a anuência do DEPRN, a promover a recomposição florestal relativa a essas intervenções. Com isso, foram implantadas aproximadamente 6.878 árvores na área da ETE e cerca de 4.147 unidades ao longo da faixa de preservação permanente do córrego São Pedro.

SOLUÇÃO

Fornecimento e instalação de um removedor de lodo circular com acionamento periférico, para a otimização e melhoria do sistema de remoção de lodo, parte crucial do processo de tratamento de esgoto. Nesse equipamento, o efluente chega ao tanque pela coluna central que possui aberturas para tal entrada. Neste instante o efluente é barrado pelo defletor central e inicia-se a decantação propriamente dita. O lodo sedimentado é conduzido ao poço central de lodo pela ação dos raspadores. O raspador central dirige o lodo do poço até o tubo de saída e a água clarificada é vertida para canaleta periférica, por meio dos vertedores ajustáveis e remetida para o processo sem escuma, visto que teve sua saída impedida pela cortina retentora de escuma. A lâmina raspadora de escuma remove-a em direção à cortina e, em um ponto da periferia do tanque, encontra-se montada uma caixa coletora para a sua retirada. No centro, a ponte está apoiada na coluna central através de um rolamento de grande dimensão que absorve os esforços resultantes. Nesta mesma coluna encontra-se um coletor elétrico que alimenta o motorredutor da outra extremidade. Outro equipamento que faz parte dessa solução de engenharia SIGMA é a Bomba Parafuso para Material Gradeado, que é um equipamento especial utilizado para o transporte de detritos sólidos, aplicado em conjunto com o gradeamento. Essa solução, pode ser aplicada em outro material, como lodo de centrífuga, entre outros.

REALIZAÇÃO

Implantação de um sistema de remoção de lodo, chamado de Removedor de Lodo Circular com Acionamento Periférico DN-48mts, que apresenta os seguintes componentes: uma ponte-passadiço totalmente em aço carbono, com treliça e guarda-corpos totalmente soldados, dando mais rigidez e robustez à ponte, que contém os braços raspadores fixados por meio de parafusos. Os braços raspadores de fundo e poço foram fabricados em aço carbono com lâminas de borrachas para o arraste do lodo ao centro do poço de fundo. O suporte do bafle central, também de aço carbono, e o bafle central em PRFV (Plástico Reforçado de Fibra de Vidro), em razão do tamanho, foram fabricados em 03 (três) partes para facilitar o transporte e, principalmente, a montagem em campo, presos através de elementos de fixação, parafuso, arruela lisa, arruela pressão e porca sextavada. Adicionalmente, foi fornecido Rodo Escuma, fabricado em aço carbono, com lâmina de PP preto para o arraste da escuma superficial, raspando toda sua circunferência e depositando na caixa de escuma. Esse rodo possui articulação para facilitar o descarte na rampa da caixa de escuma, fabricada totalmente em aço inox, para a retirada da escuma superficial. A caixa contempla uma tubulação no centro com mangueira flexível corruga DN-6” para facilitar na interligação entre a caixa e a saída da escuma. A caixa encontra-se fixada em um suporte no tanque de concreto, sendo que todos esses dispositivos têm sistema de regulagem de altura para facilitar a montagem. O pivot central, fabricado em aço carbono, é fixado na coluna central do tanque de concreto através de chumbadores químicos, porca de ajuste na parte inferior da base do pivot e contraporca para travamento. Além de alinhamento do mesmo. A placa da cortina, fabricado em PRFV (Plástico Reforçado de Fibra de Vidro), foi instalada em toda a circunferência do tanque, fixada no suporte através de elementos de fixação (parafuso, arruela lisa, arruela pressão e porca sextavada). A Placa Vertedora, fabricado em PRFV (Plástico Reforçado de Fibra de Vidro), apresenta vertedores instalados em toda a circunferência do tanque, equalizando a distribuição por igual do efluente clarificado, com sistema de ajuste de todas as placas fixado através de chumbador químico. O truck de acionamento motriz, fabricado em aço carbono, é reforçado com eixo central em aço inox, 02 (duas) rodas motriz com fixação através de chaveta, buchas espaçadoras em PP-Preto, limpa pista, para limpeza em toda a sua circunferência e proteção das rodas motriz, além de um motorredutor marca Nord, modelo SK 5382A BHG -80S S/4 RD com potência de 0,55kW, rotação de 2,4rpm, torque de 2234N, fator de serviço de 1,4, redução de 700,03i, eixo oco de Ø60, proteção de IPW55, classe F, forma construtiva: M1 e tensão de 220/380/440v. A Roda Truck motriz, fabricada em FoFo + PU, marca Schioppa modelo R-124-PE, Ø12” roda comercial de mercado. Truck de acionamento movido, fabricado em aço carbono, truck reforçado com eixo central em aço inox, 02 (duas) rodas movidas com fixação através de chaveta e rolamento, buchas espaçadoras em PP-Preto, Roda Truck movida, fabricada em FoFo + PU, marca Schioppa modelo R-124-PE, Ø12” e roda comercial de mercado. Coletor elétrico (7 anéis), totalmente fabricado pela SIGMA.

Precisando entrar em contato?

Nos envie um e-mail ou ligue: (11) 4056-6265