Ordem de serviço entregue: Capacidade de abastecimento subirá mais de 34% com obra da nova Estação de Tratamento de Água

Publicado em 12 de fevereiro de 2021

O incremento de uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA) em Lages ocasionará o crescimento da capacidade de tratamento e abastecimento de água potável da cidade de Lages em 34,33%. A ordem de serviço nº: 01/2021, para a instalação da estrutura, a ser construída ao lado da já existente, na sede da Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa), situada na avenida 1º de Maio, no bairro Popular, foi assinada e entregue oficialmente pelo prefeito Antonio Ceron, na tarde desta terça-feira (12 de janeiro), em cerimônia na sede administrativa da Semasa, aos representantes da empreiteira, Sigma Tratamento de Águas Ltda. (de São Bernardo do Campo – SP), a coordenadora comercial, Adriana Rodrigues de Oliveira, e o coordenador de contratos, André Ferreira. O documento autorizou a empresa vencedora do processo licitatório a iniciar os serviços, conforme o contrato Semasa nº: 85/2020. O evento foi prestigiado por autoridades públicas e demais servidores, a exemplo do vice-prefeito, Juliano Polese; secretário municipal de Águas e Saneamento, Jurandi Agustini; diretor de Operações da Semasa, Ademir Fabrício; fiscal da obra, engenheiro Ricardo Fontana Sirtoli; presidente da Câmara de Vereadores, Gerson Omar dos Santos, e o vereador Agnelo Miranda.

 

Com capacidade nominal de 300 litros por segundo, Lages deverá receber uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA) no prazo de 360 dias. A ampliação da produção na nova Estação de Tratamento será de 670 litros por segundo para 900 litros por segundo, o que significa abastecimento suficiente para uma cidade de 450 mil habitantes depois de a obra estar concluída e em funcionamento operacional pleno. “A Estação de Tratamento de Água de Lages tem 40 anos. O tratamento é eficiente e a partir desta segunda Estação, um equipamento também de alta tecnologia, o atendimento à população neste quesito será melhor ainda, com o mínimo de risco possível de falta d’água. Os recursos da Semasa são reinvestidos em favor da comunidade. Vale ressaltar que as ruas de chão batido que recebem pavimentação asfáltica são contempladas com suas redes novas, de água e saneamento básico”, pontua o prefeito Antonio Ceron, acrescentando sobre a taxa de fornecimento de água, cuja cobrança “sempre foi baseada na reposição da inflação sobre a tarifa. Em média, o custo de água em Lages é 30% menor do cobrado no restante de Santa Catarina, o esgoto é também mais barato”.

 

O vice-prefeito, Juliano Polese, lembrou os bons resultados atingidos. “O manuseio dos resíduos sólidos e os investimentos em água (captação, tratamento e distribuição) e em saneamento básico são referenciais no nosso município. A gestão dos resíduos orgânicos nos rendeu prêmios e elevou Lages a modelo nacional. Antes da operação do Complexo Araucária a cidade possuía 25% dos resíduos sanitários tratados, depois desta obra chegamos a 50% e com o Complexo Ponte Grande, cortando 13 bairros com infraestrutura de qualidade, alcançaremos 75%, um dos melhores índices de Santa Catarina, prospectando-se a cidade para os próximos 30 anos.”

 

O que será executado

A empresa Sigma realizará os trabalhos de elaboração de projeto executivo, execução, instalação e operação inicial da Estação de Tratamento de Água (ETA), com design em aço e capacidade nominal de 300 litros por segundo, aberta, pré-fabricada, voltada ao tratamento de água destinada ao consumo, e à responsabilidade da empreiteira estará incluído o fornecimento de material. O complexo estará instalado na própria sede da Semasa, ao lado da atual Estação de Tratamento de Água (confeccionada em concreto), reforçando a capacidade.

 

Os serviços terão custo no valor global de R$ 4.709.000 (milhões), recursos próprios da Semasa. O prazo de execução para entrega dos projetos e produção do primeiro módulo é de 180 dias e para entrega total da obra é de 360 dias, obedecendo-se o cronograma físico-financeiro.

 

Esta será uma nova Estação de Tratamento de Água implantada ao lado da ETA presente, anexa à sede administrativa da Semasa. A Estação de 300 litros por segundo será fixada junto à atual, que trata de 670 a 700 litros de água por segundo. Ou seja, a construção da nova ETA, com metade da capacidade daquela, tornará possível realizar reparos na já instalada.

 

A ETA possui dois módulos de tratamento e, a partir da nova Estação de Tratamento, a Semasa poderá cessar um módulo para fazer ajustes e após, o outro. Deste modo se conseguirá atingir um incremento de 300 litros por segundo de vazão de água tratada, se for necessário.

 

De acordo com a Semasa, a atual Estação de Tratamento de Água (ETA) foi dimensionada para uma capacidade de 600 litros por segundo. Decorridos mais de 40 anos de uso, decidiu-se pela convicção sobre a necessidade de sua recuperação ser realizada com a maior brevidade possível, evitando-se, desta forma, riscos de colapso ao sistema de abastecimento de água potável para a cidade de Lages.

 

Assim que a recuperação da ETA estiver concluída, a Semasa ficará com uma capacidade disponível de 900 litros por segundo, permitindo uma demanda segura, com a operação das duas Estações de Tratamento, em funcionamento conjunto. A nova configuração da ETA possibilitará trabalhos de manutenção e recuperação da Estação, simultaneamente irá assegurar o fornecimento à população lageana para as próximas décadas. “Lages é uma cidade com cobertura de 100% em abastecimento e o novo aparelhamento só vem a facilitar a vida dos gestores e da população lageana”, celebra o secretário municipal de Águas e Saneamento, Jurandi Agustini.

 

Boas novidades

A rede de água de Lages está antiga e isto provoca problemas de vazamentos, com consequentes 45% de perda (desperdício). A revisão está sendo executada para diminuir este problema gradativamente em Lages, como aconteceu na rua Nereu Ramos, no Centro, esta a rede mais antiga de Lages, seguida pela rua Coronel Córdova, a segunda mais antiga, atualmente passando por inovações das redes de água, saneamento básico e pluvial, conforme a demanda do contingente populacional dos dias de hoje e comércio, correspondendo-se às necessidades.

 

Até final deste mês de janeiro de 2020 deverá estar em operação o reservatório construído no bairro Morro do Posto, com capacidade de armazenamento/abastecimento de seis milhões de litros. A prefeitura, através da Semasa, planeja a construção de mais dois reservatórios com capacidade de seis milhões de litros cada um, além de três ou quatro com capacidade de 500 mil a um milhão de litros cada estrutura. A Semasa estuda outros empreendimentos para reduzir cada vez mais os riscos de falta d’água em Lages e também referentes ao esgotamento sanitário.

 

Texto: Daniele Mendes de Melo

Fotos: Greik Pacheco e Toninho Vieira

 

Fonte: https://www.lages.sc.gov.br/noticia-descricao/1833/ordem-de-servico-entregue:-capacidade-de-abastecimento-subira-mais-de-34–com-obra-da-nova-estacao-de-tratamento-de-agua—#.X_8LEWHCFMo.linkedin

Leia
Também

mais notícias